14 janeiro, 2009

Eu sou, Tu és

Sartre costumava dizer: “a liberdade do homem consiste em escolher a própria escravidão”. Nós lemos isso, e pensamos: “bem, parece que ele tem razão”.Trabalho oito horas por dia, e se for promovido, passarei a trabalhar doze horas. Casei-me, e agora não tenho mais tempo para mim mesmo. Procurei Deus, e sou obrigado a ir a cultos, missas, cerimônias religiosas.

Tudo que é importante nesta vida - amor, trabalho, fé - termina se transformando em um fardo pesado demais”. Só existe uma maneira de escapar disso: o amor. Amar o que fazemos é transformar escravidão em liberdade. Se não podemos amar, é melhor parar agora.

Liberdade não é fazer o que se quer, mas querer o que se faz.

Paulo Coelho

2 comentários:

  1. Alice in Wonderland15/01/2009 10:51

    Quanta metafora!!..rs...
    Como diz um velho ditado"Para bom entendedor meia palavra basta"...

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir